Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Velhofobia

por Kruzes Kanhoto, em 04.07.16

5773f39755b02.jpgCaptura de ecrã de 2016-07-04 22-44-09.jpg

 

Depois do Reino Unido, onde se culpam os eleitores mais idosos pelo resultado do referendo ter sido favorável ao Brexit, também em Espanha se assiste a uma onda de velhofobia por o Partido Popular ter voltado a vencer as eleições e a esquerda ter tido um resultado miserável. Tudo graças, afiançam os esquerdelhos mais jovens, ao voto dos velhos na direita. Há mesmo, num e noutro país, quem defenda a interdição de voto aos mais idosos por, alegam, estarem a decidir sobre um futuro que não lhes pertence.

Deixo de lado a notória indigência mental destas afirmações e os altos valores democráticos que esta gente demonstra possuir. Não me surpreendem. Dos velhos apenas querem a mesada que lhes permite fazer vida de rico e, quanto à democracia, julgam que é mais ou menos como nas suas casas onde os papás sempre lhes fizeram todas as vontades. Chegados à idade adulta não admira que constitua para eles uma novidade o facto de haver gente que, democraticamente, os contrarie. Uma chatice a que não estão habituados.

O que me espanta é não ter vindo ainda ninguém, nomeadamente da área do politicamente correcto, condenar estas afirmações velhofobicas. Se algum infeliz ousasse escarnecer de uma fufa, de um larila, de um negro, de um muçulmano, de um refugiado, de um anão ou, principalmente, de um cão teríamos os intelectuais do Facebook em pé de guerra com o mundo. Concluo, portanto, que não faz mal nenhum ser velhofóbico.

Compartilhar no WhatsApp

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.