Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Um par de tabefes nos pais era capaz de ajudar...

por Kruzes Kanhoto, em 03.05.16

tdah-transtorno-de-deficit-de-atencao-e-hiperativi

 

Tem sido noticia nos últimos dias a quantidade de calmantes que, diz, as crianças portuguesas estarão a ingerir. Prescritos por médicos e ministrados pelos pais, presumo. Parece que é tudo hiper-activo, ou lá o que chamam agora aos gaiatos que têm bichos carpinteiros. Uma maleita cujo principal sintoma é uma intensa comichão no lombo e que em tempos tinha um tratamento muito mais rápido, eficaz e bastante menos dispendioso. Sim, que as drogas para tratar doenças de ricos, de pobres com a mania que são abastados e de gente convencida da genialidade do seu intelecto não devem ser baratas.

A ser verdade é coisa para me deixar basbaque. Não se pode dar um tabefe num puto malcriado. É crime, dizem eles. E elas, que não pretendo discriminar os parvos em função do género. Contudo ninguém vê nenhum inconveniente em fazê-los engolir drogas. Quiçá criando dependências e provocando sabe-se lá que outros efeitos secundários. Tudo porque é mais fácil enfiar um comprimido pelas goelas abaixo à criança do que dar-lhe um sopapo. Bonito, sem dúvida. E estúpido, também.

Compartilhar no WhatsApp

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.