Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Tragam mais refugiadas, mas é....

Kruzes Kanhoto, 05.12.16

xxxxxxxx.jpeg

 

Não sei do que se admiram. Nem do que estavam à espera. O gajo que violou a sem-abrigo fê-lo porque no seu país e para a sua cultura é uma coisa mais ou menos banal. Outros farão o mesmo. Tal como fazem noutros lados onde são recebidos muitos cavalheiros oriundos daquelas paragens, iguais aos que uns quantos benfazejos insistem em acarretar para cá.

Estas ocorrências significam, entre outras coisas, que o acolhimento a estes senhores não estará a ser o mais indicado. Existirão, presumo, muitas lacunas na integração destes amáveis cidadãos. Não basta dar-lhes alojamento, alimentação, roupas e dinheiro. Nem só disso vive o homem. Há que proporcionar-lhes, igualmente, uma vida sexual de acordo com as suas necessidades. E orientações, também. Embora, neste caso, há quem diga que preferem orientado para Meca.

Mas, é cá uma desconfiança minha, esta deve ter sido a primeira e última vez que ficámos a saber que um pacato refugiado cometeu uma atrocidade destas. Noutras ocasiões, que seguramente existirão, a referência à origem do valentão será omitida. Para não discriminar o homem, coitado. Bem basta a sua aflição.