Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Tele...o que se queira!

Kruzes Kanhoto, 11.01.22

Em matéria de inovação tecnológica Portugal está na linha da frente. E nisto, por muito que custe aos liberais mais empedernidos, o Estado dá cartas. Está, digamos, anos-luz à frente dos privados.

Veja-se, para não irmos mais longe, a questão do teletrabalho. Enquanto no sector privado ainda existem inúmeras resistências à sua introdução, na administração pública já se consegue colocar toda a gente, seja qual for a profissão, a trabalhar a partir de casa. Ou do café, se preferirem. Desde pedreiros a canalizadores, jardineiros a varredores, senhoras da limpeza a motoristas, tudo teletrabalha. É a tecnologia. Seja ela – a tecnologia - qual for que permite esse milagre. Deve ser ultra-secreta, por enquanto.

Mas nisto, como sempre, os velhos do Restelo não podiam deixar de se fazer ouvir. Argumentam, veja-se o topete, que a malta quer é teledescanso. Fazem-me lembrar aquele meu tio-avô que, ao ouvir falar pela primeira vez em bebés-proveta, exclamou indignado: “Pode lá ser! Onde já se viu fazer filhos sem f**der!”. O futuro encarregou-se de o desmentir.

6 comentários

Comentar post