Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Pois. Não te trates, não.

por Kruzes Kanhoto, em 18.05.18

IMG_20180513_204421.jpg

Comovente, para não lhe chamar outra coisa, a evocação que os meios de comunicação social têm feito dos desacatos ocorridos em Maio de 1968 na capital francesa. Como se aquilo não se tivesse resumido a uma espécie de birra protagonizada por uns quantos estudantes ricos, mimados e ociosos. Vá lá que pelo menos alguns tiveram a honestidade intelectual de explicar, ainda que de fugida, como aquilo acabou. A esmagadora maioria da população, obviamente, não estava com eles e, farta daquela rebaldaria, tratou de o demonstrar. Nas ruas e, principalmente, nas urnas de voto.

Compartilhar no WhatsApp

Hoje não "sou francês"...

por Kruzes Kanhoto, em 14.11.15

Hoje é mais um daqueles dias, cada vez mais frequentes, em que os idiotas do costume serão “Charlie's”, “franceses”, “parisienses” ou outra coisa qualquer que lhes pareça adaptada ás circunstâncias. Cantarão a Marselhesa, enaltecerão os valores da liberdade, da igualdade e da fraternidade. Provavelmente darão as mãos a gente de outras culturas e não se cansarão de se manifestar em defesa de “valores” como o multiculturalismo ou a solidariedade. Quase de certeza não faltarão as referências à maldade do homem branco, causadora de todo o mal.

Mas é igualmente o dia de pedir contas. De responsabilizar os governos e todos os que têm permitido a invasão islâmica do ocidente ao longo das últimas dezenas de anos. Todos são culpados. Desde os políticos que lhes abrem as fronteiras aos que os acolhem. E não, não excluo os gajos que os vão lá buscar nem, sequer, quem lhes dá donativos. Todos têm sangue nas mãos.

Compartilhar no WhatsApp