Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

O virus chinês

Kruzes Kanhoto, 20.10.20

Captura de ecrã de 2020-10-20 10-39-41.jpg

Há anos que uso sistemas operativos Linux, em vez do tradicional Windows, nos computadores cá da maison. Por várias razões. A segurança, o facto de todas as aplicações serem gratuitas e a opção por não usar pirataria são apenas algumas. Embora, reconheço, a principal seja apenas porque sim. Das vantagens já aqui escrevi em várias ocasiões e, apesar de algumas lacunas, continuo a considerar que a escolha vale a pena.

O Linux fica apenas a perder – dentro do software de que faço uso, obviamente – para o “Office”. Aí não há volta a dar. A alternativa ao pacote de escritório da Microsoft, que vem por defeito com o sistema, deixa bastante a desejar. Daí a tentativa de encontrar outros programas melhorzinhos. Ou simplesmente menos maus, vá. A busca levou-me ao WPS. Apesar de chinês resolvi testar. Em má hora o fiz. Deu nisto. Aquilo não presta e, pior, criou uma pasta que não mostra o conteúdo nem se deixa apagar. Mas este, ao contrário do outro vírus dos gajos, tem solução. E rápida. Graças ao fantástico Linux.

Deve ser tudo rico...

Kruzes Kanhoto, 17.03.15

ArquivoExibir.jpg

Constitui para mim um mistério inexplicável que não se vendam computadores sem sistema operativo instalado. Se há, nunca os vi. Isto apesar de em inúmeras ocasiões e outras tantas lojas – grandes e pequenas – da especialidade, ter questionado os funcionários – colaboradores, vá – acerca do assunto. Sem sucesso, diga-se. Obtive apenas respostas parvas de quem não fazia a mais parva ideia acerca do eu estava a falar.

Não consigo entender que tenha de pagar por algo que não quero e que não pretendo usar. Recorde-se que a licença do Windows custará cerca de cento e cinquenta euros. Valor que está incluído no preço da máquina. Sendo utilizador do Linux, um sistema operativo gratuito, que inclui software para tudo o que preciso, não me parece razoável ter de pagar uma espécie de tributo à Microsoft. Para mais quando não vou usar nenhum programa produzido por essa empresa.

Por alguma obscura razão é tema que parece não preocupar ninguém. O Governo, a Deco ou o Bloco de esquerda, nomeadamente. Nem, mais estranhamente ainda, aos consumidores em geral. Devem ser todos ricos.