Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

É cultura, estúpidos!

Kruzes Kanhoto, 30.05.21

Captura de ecrã de 2021-05-30 18-40-29.png

A noticia, contrariamente ao que qualquer pessoa normal possa pensar, não foi publicada na página criminal de nenhum jornal. Nem, sequer, naquela outra que os periódicos reservam para as excentricidades e piadolas diversas. Consta, sim, do suplemento cultural de um diário alegadamente de referência. Má, na minha irrelevante opinião, mas nem por isso menos referência. Trata-se da venda em leilão de uma escultura imaterial. Ou seja, que não existe. Noutros tempos estaríamos perante uma burla. Agora é arte. E da boa, a julgar pelo preço.

Não sei por que raio anda a GNR a visitar os velhotes que vivem isolados e a alerta-los constantemente para os cuidados a ter com os burlões que se fazem passar por isto e por aquilo. Tempo perdido, está bem de ver. Um dia destes ainda depara com um velhinho que entregou as poupanças de toda a vida a um artista que lhe vendeu um quadro imaterial. Uma obra prima da pintura burlesca, quiçá. Depois sempre quero ver, com um argumento cultural desta índole, quem é o desprezível inculto que se atreve a condenar a actividade de burlar em geral.

Burlar também é trabalhar

Kruzes Kanhoto, 17.09.20

Captura de ecrã_2020-09-10_19-35-40.jpg

Esta malta das burlas tem uma capacidade empreendedora notável. Um espírito de iniciativa ao alcance de poucos, diria. Merecem o meu respeito, tenho de confessar. É que isto de burlar dá muito trabalho. Dizem, que eu nunca estive envolvido no meio. Mas acredito que engendrar esquemas para ganhar a vida a ludibriar os demais não será coisa fácil. Nem que se consiga fazer assim sem mais nem menos. Será necessário, presumo, ultrapassar diversas etapas. Desde o surgimento da ideia até à sua concretização será um longo percurso. Plano de acção, aquisição de equipamento, formação profissional, escolha do público-alvo e outras que provavelmente nem desconfio envolvem decerto muito esforço, dedicação, empenho e, se calhar, um avultado investimento.

O MB Way tem sido um dos alvos preferenciais. Até, consta, os primos aqui da região terão estado envolvidos numa tramoia irritantemente simples de sacar dinheiro aos mais incautos utilizadores daquele meio de pagamento, a que entretanto as autoridades puseram fim. Mas, esses ou outros dinâmicos empreendedores do ramo da burla, já maquinaram outro esquema. Igualmente simples. Há, contudo, que melhorar a comunicação. É que os e-mails que ando a receber, assim como estão, parecem-me demasiado descarados. Devem ser obra de burlão estagiário.