Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Para baixar o IRS seriam capazes de fazer o mesmo?

Kruzes Kanhoto, 26.01.20

Numa sessão pública de uma assembleia municipal um grupo de cidadãos que assistia aos trabalhos forçou – de forma pacifica, diga-se - um determinado número de eleitos a repensar a sua posição, após a primeira votação não ter produzido os resultados que os ditos cidadãos desejavam. Em causa estava autorizar uma das mais endividadas câmaras do país a contrair um empréstimo com o intuito de recuperar o centro histórico em ruínas de uma aldeia praticamente deserta.

Não questiono – nem me interessam - a bondade do investimento, as contas da autarquia em causa, a legitimidade dos cidadãos fazerem ouvir a sua voz nem, sequer, o direito a cada um mudar de opinião e alterar o sentido de voto. Há, apenas, duas coisinhas de nada que me apoquentam. A primeira é que continuamos a apreciar a ideia de esturrar à tripa forra o dinheiro que não temos. A segunda, é que quando se trata de baixar impostos ninguém é capaz de fazer o mesmo. Não sei qual delas a pior.

Dissertações

Kruzes Kanhoto, 20.03.18

478358138.jpg

 

Anda para aí meio mundo indignado por Passos Coelho ter sido convidado para professor numa universidade. Não se me afigura que exista motivo para tanto. Nomeadamente num país onde, a julgar pela ausência de igual nível de irritabilidade, toda a gente parece achar normal que o líder da claque do futebol clube do Porto seja orador em palestras acerca da ética no desporto. Ou que, para além de mim, poucos mais achem um disparate que José Sócrates vá dissertar sobre economia na universidade de Coimbra.

Admito não estar a ver bem a coisa. Se calhar, no caso do macaco e do ex-detido de Évora, a intenção será demonstrar aos participantes nas respectivas iniciativas aquilo que nunca devem fazer. Assim tipo, “estão a ouvir estes senhores? Façam o contrário do que eles dizem e vão ver que o mundo será um lugar melhor”.

Quanto ao Passos Coelho… coube-lhe aquela chatice de tirar o país da terceira bancarrota originada por governos socialistas. Fez, à conta disso, um rol imenso de disparates. Menos, ainda assim, que qualquer dos outros dissertantes acima mencionados. Mas, como forma de expiação, devia era ir dar aulas para uma universidade sénior...