Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Vendo colecção de burriés

por Kruzes Kanhoto, em 10.12.19

Captura de ecrã_2019-12-09_19-36-03.jpg

 

Uma banana colada com fita adesiva a uma parede é apenas isso. Uma banana colada com fita adesiva a uma parede. Seja a parede de um museu ou a parede de uma casa de banho pública. Tanto faz. Continua a ser uma banana. Arte será apenas na cabeça de gente mimada, fútil e intelectualmente a funcionar à base de psicotrópicos.

Espantoso é que alguém tenha pago mais de cem mil euros pela tal banana. Das duas uma. Ou não lhe custaram a ganhar ou deu-lhe jeito gastá-los. Pode, também, acontecer que seja parvo. Hipótese que, obviamente, não invalida nenhuma das anteriores. Pena é que não tenha falado comigo. Por esse dinheiro arranjava-lhe uma colecção de burriés, colados aos mais variados objectos, capazes de deixar extasiado qualquer apreciador de arte moderna, performativa ou lá o que chamam agora a cenas parvas. 

Mas, nesta história, o que mais me surpreende é o silêncio da ex-deputada Ana Gomes e da sua vasta legião de seguidores, quais paladinos da luta contra a corrupção. A venda do passe de um jogador de futebol por cem milhões cheira-lhes a lavandaria e a crimes da mais variada ordem, mas uma banana vendida por cento e oito mil euros parece não suscitar especiais reservas – nem odores estranhos – a essas miseráveis criaturas. Mesmo que as ditas bananas estejam hoje no Continente a vinte cêntimos cada uma.

Compartilhar no WhatsApp

O verdadeiro artista

por Kruzes Kanhoto, em 25.09.18

robert-mapplethorpe-sans-titre.jpg

 Obra de arte do mestre Mapplethorpe

HPIM0074 (cópia).JPG

Obra de arte do mestre Kruzes Kanhoto

 

As televisões têm dedicado um tempo de antena inusitado àquilo da alegada censura no museu de Serralves. Nada o justifica. Trata-se de um tema menor e que não interessa a ninguém. Excepto, talvez, a meia dúzia de urbano depressivos e outra gente esquisita e pouco recomendável que controla a comunicação social. 

Fiquei, graças às fastidiosas declarações dos indignados, a saber que fotografias de gajos a auto introduzir coisas no cú constituem uma forma de arte. Pois. Não discuto. Mas se é assim as minhas fotos de merda de cão também são arte. Muito mais valorizável, até, do que os retratos do tal Mapplethorpe. Pelo menos nas minhas fotos as lombrigas não são maltratadas. 

Compartilhar no WhatsApp

Cosmopolitas e matarruanos

por Kruzes Kanhoto, em 12.03.18

100_5747.JPG

100_5744.JPG

Calhaus pintados? Deve ser uma moderna forma de expressão artística. Isso ou outra parvoíce qualquer. Mas, ainda assim, não tão parva como destruir linhas de água. Devem estar convencidos, os novos campónios, que nunca chove no Alentejo. Ou, então, acham que podem mandar o regato dar uma grande volta. Como têm de fazer os que antes passavam pelos caminhos que os proprietários cosmopolitas, ciosos do seu brinquedo, vão fechando. Com a complacência dos matarruanos autóctones, quase sempre.

 

Compartilhar no WhatsApp