Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

É fácil fazer caridade com o dinheiro dos outros...

por Kruzes Kanhoto, em 11.04.18

Praticar a caridade com o dinheiro dos outros é um conceito cada vez mais praticado. Veja-se o caso da lei das rendas. Só um idiota chapado entra no mercado do arrendamento. As limitações são de toda a ordem que, em muitos casos, mais valia que o Estado nacionalizasse o imóvel e ficasse com ele para fazer o que muito bem entendesse.  

Ainda assim não é suficiente para a esquerda. Não quer despejos, reclama da caducidade dos contratos, entende que o proprietário não pode aumentar a renda para valores que garantam a rentabilidade do seu património e prepara-se para proibir, por via legislativa, a exigência de caução ou fiador. Ou seja, o legitimo dono não pode dispor livremente de um património que é seu. Excepto para pagar o IMI.  

Reafirmo, por isso, que só um parvo se mete nisso do arrendamento tradicional. E como se não bastasse o esquerdume está a aprontar, sob os mais variados e elaborados pretextos, um feroz ataque ao alojamento local e para fins turísticos. Tudo em nome dos pobrezinhos, alegam eles. E daqueles que, mesmo tendo nascido nas berças, se acham no direito a morar na praça. Com isso irão prejudicar centenas ou milhares de pessoas que obtêm, legitimamente, os seus proveitos nesta actividade. Mas não é coisa que importe. Como dizia o outro: "Não queremos cá disso. Depois aburguesam-se e já não votam em nós".  

Compartilhar no WhatsApp

Os chatos querem as cidades só para eles

por Kruzes Kanhoto, em 04.01.18

100_5691.JPG

 

Fazem-me alguma confusão as polémicas em torno do turismo. Nem, por mais turistas que andem por aí e em particular nas principais cidades, consigo entender o conceito de excesso de visitantes. Vão mas é passear com essas ideias. É graças a eles que a economia está a melhorar qualquer coisita, que o desemprego tem diminuído e que muitas ruínas têm sido recuperadas. Querem morar no centro de Lisboa e os proprietários – esses malandros – preferem apostar no mercado turístico?! Azarinho. Os prédios são deles e era o que mais faltava que não os pudessem rentabilizar. Pelo menos por enquanto. Quando isto for uma “Venezuela” logo se verá. E quanto aos turistas, que venham todos. Até os camafeus.

Compartilhar no WhatsApp