Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Sondagens e outras questões

Kruzes Kanhoto, 05.04.08

Foram dezoito os leitores que participaram na “sondagem” onde pretendia saber se era só eu que desconhecia a existência das associações de Estremoz mencionadas neste post. De entre os votantes apenas quatro conhecem pelo menos uma delas. O que, valendo estas coisas o que valem - ou seja muito pouco - não deixa no entanto de ser sintomático quanto ao dinamismo e manifesto interesse para a comunidade das actividades que algum movimento associativo vai desenvolvendo. Ou não.

Entre as cerca de cem “associações” dadas como existentes no concelho, conforme se pode constatar em diversos sites mais ou menos oficiais, constam algumas que não são mais que meros grupos de amigos ou, pior, empresas de carácter familiar e que apenas existem enquanto “associações” para beneficiar das vantagens que esse estatuto lhes proporciona. É um estratagema perfeitamente legal mas bem revelador da capacidade tuga para o xico-espertismo sempre pronto a aproveitar cada nesga que o legislador, intencionalmente ou não, deixa aberta.

À escala nacional este fenómeno assumirá certamente proporções assinaláveis e representará em termos financeiros valores significativos, quer do lado da receita através dos impostos que não são cobrados, quer do lado da despesa pelos subsídios que lhes são concedidos enquanto “associações” ou outras entidades com denominações manhosas. Mas isso pouco importa aos arautos do rigor orçamental e do controlo da despesa pública. Preocupante, mas mesmo preocupante, é o vencimento do malandro do funcionário público que recebe a exorbitância de 500 euros por mês.