Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Sinto-me um benfeitor...

por Kruzes Kanhoto, em 26.05.15

Era inevitável. A questão das reformas teria de vir, mais cedo do que tarde, de novo à discussão. Pena é que não se consiga fazer de forma séria e que uma questão desta natureza seja tratada como mera questiúncula politica. Lamentável, igualmente, que os cidadãos não percebam o que está em causa e, menos ainda, aceitem que o sistema está prestes a colapsar.

Particularmente irritante – pelo menos para mim – é a retórica politicamente correcta, que vai da direita mais à direita até à esquerda mais à esquerda, que não se pode cortar nas pensões. Como se não fosse o que tem andado a ser feito nos últimos anos. A minha reforma, a que hei-de ter daqui por uns anos, já foi mais do que retalhada. Mas essa parece que não faz mal. Pode-se cortar à vontade. Nas de quem se reformou com a idade que tenho agora – e mais novos, até – é que não se pode tocar. Ou seja, sou triplamente penalizado. Desconto mais, trabalho muitos mais anos e, no fim, tenho uma reforma mais baixa. Isto para garantir o conforto de quem trabalhou menos, descontou menos e recebe uma pensão maior. Estranho conceito de justiça social, este.



 

Compartilhar no WhatsApp

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.