Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Os javardos que paguem a crise

por Kruzes Kanhoto, em 24.06.12

Tem-se falado, com algumainsistência nos últimos dias, da eventual necessidade de novas medidas deausteridade face à má execução orçamental do ano em curso. Nomeadamente e comoseria de esperar pela significativa quebra nas receitas fiscais. Do que se temfalado muito pouco é daquelas que terão mesmo de ser aplicadas por causa das dívidasdas autarquias. Vá lá saber-se porquê essas parecem não afligir oscomentadores, os políticos, nem – pasme-se – a população que as vai pagar. Ebem pagas, acrescente-se.
O Plano de Apoio àEconomia Local, recentemente objecto de acordo entre o governo e ANMP, prevê,entre outras coisas, um aumento significativo das receitas municipais dasautarquias que recorram ao financiamento estatal para satisfazer os seusencargos para com os credores. E, embora a adesão seja voluntária, perante osmais patéticos constrangimentos legislativos que foram criados, praticamentetodas terão de o fazer sob pena de, não recorrendo ao PAEL, verem toda a suaactividade bloqueada ou os seus responsáveis incorrerem em responsabilidadecriminal.
Neste contexto não seráde admirar que os preços dos bens e serviços das autarquias soframactualizações capazes de nos pôr – àqueles que os têm – os cabelos em pé. A água,o IMI ou o selo do carro serão apenas alguns, mas tudo o resto irá pelo mesmocaminho. Tudo o resto é como quem diz. Provavelmente coimas que penalizemcomportamentos como este, perpetrado por um vizinho javardão e filho da puta,continuarão incólumes. O que é pena. Se os donos dos descomunais montes demerda que pululam pelos passeios das nossas vilas e cidades fossem devidamentetaxados a crise passaria rapidamente à história.  
Compartilhar no WhatsApp