Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Lágrimas de crocodilo

Kruzes Kanhoto, 29.09.13
Corre um vídeo na Internet onde uma alegada professora aposentada chora as suas desditas no ombro do líder do PS que, lavado em lágrimas, procura reconfortar a senhora. A cidadã que assim se expõe estará, segundo as suas palavras, a passar sérias dificuldades. Por culpa do governo, claro. Terá tido um corte de mil euros na sua pensão e isso, como é bom de ver, causou-lhe um assinalável transtorno. Ao ponto de se prestar a fazer aquela triste figura. Quase tão triste como a de Seguro.
A larguíssima maioria da população terá razões de queixa da actual politica. Uns mais que outros, é certo. Só um idiota não concordará que entre as vitimas preferenciais da camarilha que substituiu a corja anterior no governo, estão os reformados e os funcionários públicos. Há, no entanto, que ter noção do mundo que nos rodeia.
Por mais injusto que seja tudo o que estão a fazer a este conjunto de portugueses o espectáculo protagonizado pela senhora do vídeo e principalmente pelo secretário geral do PS, vai muito para lá do razoável. Ver o rendimento mensal reduzido em mil euros por mês é, de facto, mau. Mas, ainda assim, parece pranto a mais. Nomeadamente por comparação com as centenas de milhar de desempregados sem qualquer tipo de rendimentos ou os reformados com pensões abaixo do limiar de pobreza.
Se a senhora tem razão para estar revoltada? Obviamente que sim. Se era motivo para aquele espectáculo? É evidente que não. Se devia ter dito quanto ficou a receber, para que todos chorássemos com ela? Se calhar sim. Quanto ao outro interveniente, o Seguro, demonstrou mais uma vez que não passa de um demagogo execrável. E é o que de mais simpático me ocorre. 

3 comentários

Comentar post