Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Fumaças

por Kruzes Kanhoto, em 18.08.10
Há quem diga que é do calor. Outros garantem que está tudo doido. Por mim acho que é do fumo. Não daquele fumo que os muitos incêndios ocorridos nos últimos dias tem libertado para a atmosfera, mas o resultante das substâncias que muito boa gente – se calhar não tão boa assim – anda por aí a fumar. Refiro-me às declarações que, ultimamente, uns quantos figurões não se tem coibido de proferir acerca da vaga de fogos que assola o país. 
Comecemos pelas causas. Parece que a culpa é dos malandros dos proprietários - esses fascistas latifundiários - que não limpam as matas e os terrenos de que são donos. Talvez. Um espaço desabitado, coberto pelo matagal, situado num ermo e sem acessos fáceis, constitui de facto um potencial foco de incêndio. Nomeadamente por volta das três da madrugada. Hora a que, mais coisa menos coisa, ocorrem inúmeras ignições. O que se compreende. A natureza tem destas coisas e depois o matagal está ali mesmo a pedi-las. 
As soluções preconizadas revelam igualmente uma preocupante presença de alucinogéneos a influenciar o discurso daqueles que as emitem. A começar pelo Ministro da Agricultura. A ideia de nacionalizar os terrenos que os desleixados, mas legítimos - convém recordar – proprietários, não limparem vai ficar para a triste história das patetices protagonizadas pelo actual governo. 
Não menos hilariante – até um pouco mais, sejamos justos – é a proposta do Bloco de Esquerda. O que não constitui surpresa dada a propensão daquela maralha para fumar coisas esquisitas. Só alguém com uma imaginação delirante – parvo, pronto – imaginaria um banco de terras público para prevenir os incêndios. Assim uma espécie de reforma agrária dos tempos modernos em que a terra voltaria a ser de quem a limpasse. O Bando de Esquerda não adianta pormenores acerca de quem iria trabalhar os terrenos que passariam para o tal banco mas, conhecendo-se a sua posição acerca do assunto, desempregados e malta do RSI não seriam de certeza.
Compartilhar no WhatsApp

5 comentários

Comentar post