Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Dados há muitos...

Kruzes Kanhoto, 15.05.22

1.jpg

Não percebo nada dessa coisa de que tanto se tem falado nos últimos dias. Os metadados, ou lá o que é. Diz, assim grosso modo, que é uma cena capaz de dar um certo jeito para apanhar criminosos. O pior é que não pode ser usada. Ao que parece uns juízes quaisquer, a atirar para o bota de elástico, não terão achado boa ideia usar essa modernice na caça aos meliantes. Num momento de rara sagacidade, possivelmente maravilhados com a sua própria genialidade, acharam que a decisão era tão boa que seria uma pena aplica-la apenas em casos futuros. Daí decidiram que também conta para o passado. Lamentavelmente quando apreciaram a constitucionalidade dos cortes do subsídios de férias e de Natal não ficaram tão impressionados com o seu brilhantismo e, nessa altura, entenderam que a sua sábia decisão apenas valia para o futuro. Coerentes, estes cavalheiros.

Quem, consta, beneficiará deste beneplácito da justiça será aquela malta que andava para aí a aceder a dados dos utilizadores mais incautos do MBWay. O que pode levar um tipo como eu - que, recordo, sou um perfeito alarve em cenas como leis, dados, justiça e mais um imenso rol de áreas que me escuso de enumerar para não cansar quem me lê - a concluir que esses podem aceder aos dados que quiserem sem problemas nem constrangimentos de ordem constitucional.

Assim de repente - ainda que não tenha nada a ver com o restante conteúdo do texto - ocorreu-me aquela tirada do cidadão de etnia cigana para o causídico que o representava: “Ó sr. doutor, há lá alguém mais sério do que um cigano ou um advogado!”. Não tem, reitero, relação nenhuma com o post nem sei, a bem dizer, porque me fui lembrar disto.

4 comentários

Comentar post