Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Campanhas idiotas

Kruzes Kanhoto, 23.02.10
Uma campanha publicitária que actualmente passa em diversos meios de comunicação social pretende, supostamente, lutar contra o preconceito que existirá na sociedade acerca das pessoas que terão um comportamento sexual que não estará de acordo com os padrões vulgarmente considerados como normais. Não que a dita campanha me incomode, longe disso, mas acho que a ideia pode ser perigosa. Pode. Porque por enquanto é apenas parva. No entanto, se os activistas de outras causas igualmente detestáveis copiarem a ideia, é capaz de haver muita gente a não manifestar tanta tolerância como a que agora revela perante este tipo de publicidade.
Como sabe quem lê com regularidade este blogue, nada tenho contra os panascas. Nem contras as fufas. Digamos que a paneleiragem em geral incomoda-me muito menos que uma certa esquerdalha armada ao pingarelho. Isto só para que fique claro que não tenho nenhum preconceito, nem intuitos discriminatórios, relativamente a essa malta de gostos esquisitos. Até porque, como sempre digo, cada um com o respectivo cú – ou qualquer outra parte do corpo – faz o que muito bem entende.
Mas voltando à dita campanha. Que pensariam os portugueses, ou o mundo em geral, se um dia acordassem e vissem, em placards publicitários ou em qualquer outro meio de divulgação, mensagens de conteúdo semelhante mas onde os protagonistas fossem Hitler, Bin Laden ou Estaline, com a finalidade promover a tolerância para com os seus seguidores? Por mim não gostava. No entanto respeitaria a opção e o pensamento de quem assim agisse. Não sei se a pessoal da esquerda, que se auto proclama como guardiã da tolerância e da liberdade, teria igual abertura de espírito mas quero acreditar que, excepção feita ao Hitler, até era rapaziada para aplaudir tolerantemente a ideia.

7 comentários

Comentar post