Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Burlocracia

por Kruzes Kanhoto, em 12.08.18

Gosto de estar informado. É uma mania que me acompanha desde pequeno. Uma das minhas fontes é o Citius, aquele portal onde é feita a divulgação dos actos judiciais. Foi aí que, entre outras coisas igualmente sem importância nenhuma, fiquei a saber que um casal membro de um conhecido clã das redondezas estava a tratar da regulação do poder paternal. Olha, pensei para os meus fechos de correr, aí está um sinal da evolução desta espécie. Assuntos destes, noutros tempos, se existissem eram resolvidos à base de facada.

Dada a sua irrelevância e manifesto desinteresse, depressa esqueci a informação. Até ontem. Logo pela manhã deparei-me com a tal família. Pai, mãe e pirralhos, felizes da vida, todos no banco da frente de um furgão branco a assapar em direção ao mercado mais próximo. Foi então que se fez luz. A publicação da diligência terá, provavelmente, a ver com o esquema da moda para sacar dinheiro à segurança social. É que, mesmo para burlar, há uma série de tramitações que é necessário cumprir. Burocracias, digamos. Mas esta malta sabe-a toda. Até porque o Estado, além de lhes dar o dinheiro, também os ensina como fazer a burla.

Enquanto isso, não faltam alarves a vociferar contra a Cristas e o Parvus Coelho por terem cortado nos apoios sociais. Fazem bem. Continuem a divertir-nos com a vossa idiotice.

Compartilhar no WhatsApp