Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Apetece-me sacar da calculadora. E da metralhadora, também.

por Kruzes Kanhoto, em 05.06.18

O país e o mundo ensandeceram. Só pode. Isto o melhor é fazer como o gajo do Sporting. Desliga-se o fax, a internet, fecha-se a porta e se alguém tocar à campainha responde-se que não está ninguém em casa. É que o melhor é nem saber o que se passa lá fora. Para não ficar agoniado com tanta idiotice.

Como, por exemplo, aquela de um colégio inglês sugerir que os gaiatos vão de saia para escola. Para, alegam os anormais, fomentar a inclusão. Pois, deve ser, deve. De certeza que um catraio vestido com trajes femininos se vai sentir muito mais incluído. E a inclusão será ainda maior se a isso acrescentar umas cuecas de renda ou, porque não, um fio dental.

Também por cá – como quase sempre, diga-se – não faltaram bacoradas. A dificuldade é escolher apenas uma. Mas, por envolver a possibilidade de mexer com o nosso bolso, escolho a ideia do líder do PSD em premiar com dez mil euros cada nascimento. Ia ser uma coisa bonita, ia. Até parece que já estou a ver uma certa malta a fazer fortuna. E, também, quem pagava a conta. Que, só a valores actuais, chegaria aos mil milhões, por ano. Uma bacatela.

Compartilhar no WhatsApp

2 comentários

Comentar post