Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Animais pouco estimáveis

por Kruzes Kanhoto, em 25.08.12

Tenho manifestadificuldade em perceber o que motiva alguém a ter cães dentro da própria casa ea coabitar com eles. Partilhar a habitação com animais parece-me algo assim aatirar, digamos, para o javardote. Cada coisa no seu lugar e, queiramos ou não,o lugar de um animal não é em casa. Pior ainda quando se trata de espaços exíguos,nomeadamente apartamentos ou vivendas sem logradouros, como acontecefrequentemente nas cidades.
Tratando-se de raçasperigosas, então, entramos já no domínio do deficit intelectual. Por maisrazões que possam invocar nada justifica a posse de animais desse tipo.Legalizados ou não, mais ou menos obedientes, melhor ou pior treinados,constituem sempre uma ameaça para os outros cidadãos. E, convenhamos, todostemos o direito à nossa tranquilidade sem nos estarmos a preocupar com a feraque algum deficiente mental resolveu adoptar como amiguinho de estimação.
 A recente sequência de acontecimentostrágicos, inclusivamente com várias mortes, vem evidenciar – como se tal aindafosse necessário – a urgente tomada de medidas para erradicar dos meios urbanoseste tipo de bicho. Mas, se calhar, tudo tem de começar pelas pessoas.Nomeadamente estabelecendo regras rígidas, em cada condomínio, que não permitama permanência destes animais no interior dos prédios. Depois, exigir que ogoverno legisle no mesmo sentido relativamente aos espaços públicos. Por mim,prefiro um fumador na mesa ao lado dentro de um café do que partilhar umaesplanada com um cão destas espécies. Mas isso sou eu, que devo ser dos poucos aachar que realmente importante é proteger as pessoas.
Compartilhar no WhatsApp

8 comentários

Comentar post