Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Jornada de luta

Kruzes Kanhoto, 25.04.24

IMG_20240424_203703.jpg

Isto dos feriados tem que se lhe diga. Só são bons para quem não tem onde cair morto, garantia um vizinho dos meus tempos de gaiato. Na altura não percebia bem o alcance do dichote, mas há muito que lhe dou razão. Hoje, entre pinturas e restauros diversos, trabalhei mais de dez horas. E não fui o único. O vizinho da frente, que tem uma “agrária” nos arredores da cidade, fez mais ou menos o mesmo horário e outro vizinho plantou batatas o dia todo. Até os pintores que andam a pintar um prédio aqui na rua trabalharam como em qualquer outro dia. Trabalham por conta própria e, feriado ou não, dia em que não pintam é dia em que não ganham.

Ontem desloquei-me a uma grande superfície especializada em toda a espécie de equipamentos eléctricos, electrónicos e afins. Não tinham em stock o item que precisava, mas a jovem funcionária afiançou-me que se optasse por comprar me seria entregue hoje em minha casa por uma transportadora. Recordei-lhe que hoje seria feriado, o que adiaria a entrega para sexta-feira e inviabilizaria a compra. Com a maior das naturalidades disse-me que não, que ficasse descansado pois de certeza o objecto estaria hoje na minha posse. E estava. Foi-me entregue ao principio da tarde. Questionei os jovens funcionários da empresa de transportes sobre o facto de estarem a trabalhar nesta data e a resposta foi a mais óbvia. Há que ganhar mais “algum”. Afinal este é, também, o espírito de Abril. Lutar por uma vida melhor. Não com balelas, mas lutar à séria.

10 comentários

Comentar post