Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Façam antes pipocas, pá!

por Kruzes Kanhoto, em 14.06.17

100_5179.JPG

 

Alguém que explique aos velhotes que não devem alimentar os pombos. Convencê-los a abandonar esta prática, admito, é capaz de ser uma tarefa difícil. Eles são muitos. Bastante teimosos, por norma e as cidades estão sobre-lotadas de pombos e de velhos que se dedicam a esta prática. Que pode, até, constituir um nicho de mercado bastante apreciado pelos vendedores de milho mas, para a população em geral, é um aborrecimento. Há que fazer qualquer coisa que nos livre de tanta passarada. Já nos chegam os passarões.

Compartilhar no WhatsApp

Ratos voadores

por Kruzes Kanhoto, em 19.08.16

0003.JPG

 

Agora é a tentativa de controlar a população de pombos a suscitar a ira dos amiguinhos dos animais. Uma fonte de doenças, como se sabe, essa bicharada. Ainda assim há quem os queira proteger e conteste as coimas para quem os alimente que, em boa hora, alguns municípios resolveram incluir nos seus regulamentos.

Em vez do extermínio em massa dessa espécie de ratazanas com asas, coisa que se faria a baixo custo e com elevada eficácia, as medidas colocadas em prática nalguns locais, com vista à redução de efectivos são absolutamente ridículas. Aquela, por exemplo, de capturar o bicho na cidade e ir soltá-lo ao campo nem a mim me lembraria. Ou, como propõe a agremiação de idiotas também conhecida por PAN, enganar as pombas substituindo os seus ovos por outros de gesso ou plástico também tem a sua piada. Principalmente quando vinda de um alegado partido político. Como é que se vai confiar em gente que até os pombos quer ludibriar?!

Compartilhar no WhatsApp

Um pombo tem sentimentos?!

por Kruzes Kanhoto, em 21.06.16

IMG_20160530_135355.jpg

 

Esta gente dos amiguinhos dos animais não me dá descanso. Cada dia sua indignação. Ou, como se diria noutros tempos, cada tiro cada melro. Diria, porque agora já não se pode atirar aos melros. Ou torcer o pescoço a um pássaro qualquer. Nem, sequer, a esses que poluem as cidades, deterioram os edifícios e nos cagam em cima.

Mas, voltando à vaca fria, os amiguinhos da bicharada indignaram-se este fim de semana com um Município ribatejano que resolveu controlar a população de pombos lá da terra. Uma chatice. Não se faz. Atrair os bichinhos para uma gaiola, onde estava depositado milho, da qual já não conseguem voltar à liberdade, não é coisa que se faça àqueles seres. Sencientes, possivelmente. Pior, argumentavam, sabe-se lá que destino está reservado aos pobres animais não humanos tão cruelmente capturados. Se calhar, receavam algumas alminhas, nem os vão soltar longe. Assim, tipo um descampado, onde não façam mal a ninguém. Às tantas ainda os matam. Uma maçada.

Compartilhar no WhatsApp

Pombos

por Kruzes Kanhoto, em 26.03.15

100_4059.JPG

 

 

Cá a terrinha, como quase todas as outras sejam grandes ou pequenas, está cheia de pombos. O que não surpreende. Os gajos reproduzem-se como o caraças e, para ajudar à festa, há sempre uns javardões a tratar de os alimentar. Devem-lhes achar muita graça, eles. Ou, coitados, pensam que estão a fazer uma boa acção. Se a isso juntarmos a habitual e tão característica inércia das autoridades que deviam tratar disto e não tratam, temos a javardice perfeita.

 

 

 

Compartilhar no WhatsApp