Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Diz que foi uma espécie de greve

por Kruzes Kanhoto, em 13.03.15

Hoje foi dia de greve na função pública. Presumo que a adesão, na perspectiva dos sindicatos, ronde uns avassaladores cento e dezanove por cento. Já na óptica do governo os funcionários que hoje faltaram ao trabalho não foram mais que dois. Ou três, se entretanto tiver morrido algum que ainda não tenha sido abatido ao efectivo.

O habitual, portanto. Embora os hábitos tenham mudado. E muito. As greves de hoje nada têm a ver com as de outros tempos. Nos anos seguintes ao vinte cinco do A e até aos anos noventa era predominantemente no sul, em particular no Alentejo, que os seus efeitos se faziam sentir. Agora, a julgar pelas noticias, é no litoral e também a norte que as greves terão uma maior adesão. Por cá não se dá por nada.

Entretanto tudo vai continuar como antes. Mário Nogueira vai, daqui a pouco, dizer coisas a que ninguém liga. Jerónimo de Sousa vai manifestar a sua solidariedade com a luta heróica dos trabalhadores e, mais uma vez, exigir a demissão do goverrrrrrrrno. Já António Costa garantirá que não pode anunciar medidas mas que, quando governar, vai satisfazer todas as pretensões de toda gente. Deve ser por isso que os alentejanos já não fazem greve...

 

Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:02



7 comentários

De golimix a 13.03.2015 às 20:23

A porcaria de sempre...nada mudará se tudo é igual ao que sempre foi. Não faço sentido nenhum, pois não?

De Kruzes Kanhoto a 13.03.2015 às 20:42

Mesmo que mude...fica tudo na mesma!

De pimentaeouro a 14.03.2015 às 00:07

O amigo esqueceu-se do... do..., como é ele se chama, o Comandante-geral da C.G.T.P.?

De Kruzes Kanhoto a 14.03.2015 às 11:28

O Arménico...ou lá como se chama o gajo. Outro chato.

De Fatyly a 14.03.2015 às 08:12

É caso para dizer..."mudam-se as moscas e a ***** é a mesma ou fica na mesma ou pior":):)

Por aqui sentiu-se muito pouco e só não entendo é porque as greves sobretudo na função pública - como escolas são quase sempre a uma sexta-feira e as da CP sempre depois do dia 1. E a burra sou eu...ok!!!!

De Kruzes Kanhoto a 14.03.2015 às 11:35

As greves têm, quase sempre e nomeadamente na função pública, mais a ver com agendas politicas do que com outra coisa. Juntar a um fim de semana é uma tentativa de conquistar mais adeptos para a causa. Que falha redondamente, pelo menos por aqui...

De Fatyly a 16.03.2015 às 19:16

Ora bem...por aqui também sentiu-se pouco, muito pouco!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D