Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Depois das listas de caloteiros...

por Kruzes Kanhoto, em 21.02.15

O furto de produtos em superfícies comerciais está a deixar os seus proprietários à beira de um ataque de nervos. De tal forma que alguns equacionam já a hipótese de expor nas montras as fotografias dos larápios, em flagrante delito, obtidas através dos sistemas de vídeo-vigilância dos estabelecimentos. Quem rouba são pessoas de todas as idades ou extractos sociais e a maior parte das vezes sem motivo aparente ou suficientemente forte para o fazer. Um comerciante do norte do país relata mesmo o caso de um engenheiro que, após ser apanhado várias vezes “com a boca na botija”, se desculpou alegando que estava a tomar medicação que lhe provocava cleptomania! Mais recentemente e ainda segundo o mesmo comerciante, naquilo que considera o furto mais "sui generis" ocorrido na sua loja, um idoso terá passado pela caixa, escondida junto ao corpo, com uma lampreia retirada sorrateiramente da peixaria. E não, o referido ciclóstomo não estava congelado...

Compartilhar no WhatsApp