Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Isto de procurarinformação de carácter financeiro no site de muitos municípiosrevela-se uma tarefa bastante complicada. Até parece que têm algumacoisa a esconder ou que lhes desagrada que os contribuintes tenhamacesso a uma informação que, por força da lei, deve estaracessível ao público. Acha-lá, no entanto, nem sempre é fácil.Presumo que – nem todos, é bom de salientar – sigam o estratagema que um autarca sugeriu, num determinado local que agoranão vem ao caso nem eu vou revelar que se tratava de uma reunião dedivulgação da lei dos compromissos, que consistia em esconder tudotão bem escondido que quem lá quisesse meter o nariz desistisseantes de ver fosse o que fosse.
Vá lá saber-se porquê, o mesmo não sucede relativamente à divulgação daquilo a quechamam actividades culturais. Essas merecem lugar de destaque nosrespectivos sites e em tudo o que é lugar para onde qualquer cidadãoseja obrigado a olhar. Desde a televisão aos sinais de trânsito.Compreende-se. As festarolas sempre deram mais votos do que a boagestão. 
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:58

Sites com as contas escondidas e a cultura à mostra
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:58

Também tu, Sócrates?!

por Kruzes Kanhoto, em 28.03.13

Como escrevianteriormente poucas coisas me podiam interessar menos do quer queseja que tenha para dizer o suposto engenheiro e ex-dirigentepolitico que ontem foi entrevistado na televisão. O estado do paísfala por ele. Retenho apenas uma frase que, segundo os muitosrescaldos que têm sido feitos e a que estou com manifestasdificuldades em fugir, o homem terá proferido: “Quando deixeide ser primeiro-ministro pedi um empréstimo ao meu banco para,durante um ano, ir estudar para Paris”. Ora, a ser verdade –e quem somos nós simples mortais para duvidar do honestíssimocidadão – estaremos perante mais um caso de alguém que,manifestamente, viverá acima das suas possibilidades. Um endividado, portanto. Mais uma ouduas entrevistas e ainda há-de jurar que as fatiotas eram alugadase que teve de pedir um crédito à Cofidis para equipar a cozinha.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:48

Também tu, Sócrates?!

por Kruzes Kanhoto, em 28.03.13
Também tu, Sócrates?!
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:48

Vamos lá registar a facturazinha...

por Kruzes Kanhoto, em 27.03.13
Nem é preciso procurarmuito para encontrar – na Internet e no mundo real – genteindignada com aquilo a que chamam novas regras de facturação. Aindaestou, confesso a minha ignorância, para saber porquê. Parece-me, amenos que ande distraído, que pouco ou quase nada mudou na lei quesuscite tanta irritação ou que implique uma alteração radical nodia a dia do cidadão comum. Quem vende um bem ou presta um serviçotem de passar factura e quem o compra, caso o vendedor ou prestadorde serviços não o faça, tem obrigação de pedi-la. Nada que nãofosse já assim nem que constitua motivo para dúvidas.
Há quem se orgulhe,até, de recusar liminarmente que lhe seja passada factura. Se calharserá gajo para, também, se lamentar da elevada carga fiscal que lheincide sobre o magro ordenado. Ou mesmo refilar dos comerciantes que,lá no colégio do filho, pagam uma mensalidade muito menor do queele. Está, agora, nas mãos de todos evitar que esse Estado decoisas, embora não acabe, seja combatido. Todos, ainda que pensemosque não, ganhamos alguma coisa com isso. Se mais não for, termospelo menos a certeza que o dinheiro que pagámos de imposto sobre oconsumo não fica no bolso do comerciante.
Segundo os últimosdados são mais que muitas as “empresas” que nunca tinham emitidouma factura. Serão também algumas as que, passando, não incluem norespectivo ficheiro - o tal SAF-T – a totalidade da facturação. Épara isso que existe a possibilidade, de uma forma simples eintuitiva, ser o próprio contribuinte a fazê-lo. Tal como acabeide fazer relativamente a uma factura em que suportei mais decinquenta euros de iva e que, apesar do comerciante já ter carregadoo ficheiro do mês em que efectuei a compra, não constava na listadas minhas aquisições registadas no e-fatura. Temos pena. Contassão contas e se o valor do IVA não era para entregar ao Estadoentão tivesse-me feito o desconto correspondente. 


Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:02

Vamos lá registar a facturazinha...

por Kruzes Kanhoto, em 27.03.13
Vamos lá registar a facturazinha...
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:02

...E orgulham-se disso!

por Kruzes Kanhoto, em 26.03.13

Nos últimos diastêm-se sucedido as noticias de Câmaras Municipais e Juntas deFreguesia que, de forma gratuita, disponibilizam os seus serviçospara preenchimento da declaração de IRS aos eleitoresresidentes na sua área de circunscrição. Das duas uma: Ou nãosabem o que hão-de dar a fazer ao pessoal que têm ao serviço ou,razão tão plausível como a primeira, ainda não ouviram falar decrise, desemprego, falta de oportunidades ou concorrência desleal.Embora uma terceira hipótese não seja igualmente de descartar:Agradar ao eleitorado mais velhote para ir garantindo a reeleição.
Discordo em absolutoque as autarquias prestem este e outro tipo de serviço. Ainda sou dotempo em que era exigido, para tudo e para nada, o execrável “papelselado”. Nessa altura, com uma taxa de analfabetismo muito superiorà actual, os funcionários estavam terminantemente proibidos defazer qualquer requerimento aos contribuintes. Ainda que estes nãosoubessem ler nem escrever. Para isso existiam por perto derepartições de finanças, tribunais ou câmaras municipais, pessoasque ganhavam a vida a tratar destas burocracias.
Era aquilo a que hojese chama iniciativa. Empreendedorismo, vá. Em escalanano-mini-micro, admito. Que, dizem, é necessário estimular.Conversa fiada, como se vê. Se algum jovem quiser, por estes dias“montar barraca” a preencher declarações de IRS a quem nãosabe ou não tem paciência para papeladas estará condenado aoinsucesso. Verdade que não ganharia muito mas, para quem não tememprego e lhe sobra o tempo, uma centenas de euros dariam algumjeito. Mas isso é coisa que um caçador de votos não entende. 
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00

...E orgulham-se disso!

por Kruzes Kanhoto, em 26.03.13
...E orgulham-se disso!
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00


O Sporting tem um novopresidente. Será, provavelmente, mais um dos muitos a cair emdesgraça pouco tempo depois de a sua eleição ser celebrada deforma apoteótica. A instituição estará praticamente falida, frutode décadas de péssima gestão desportiva e de desvalorizaçãocontinua de activos, pelo que apenas um milagre pode colocar de novoo clube em condições de, nos próximos anos, chegar perto doslugares cimeiros da Liga portuguesa. Inverter esta situação seráuma tarefa ciclópica na qual o novo lagarto-mor dificilmente, esteou qualquer outro, terá sucesso.
Reconheça-se noentanto que o homem agora eleito parece revelar uma visão para a coisabastante superior à dos seus antecessores. Integrar na sua lista otreinador do Moreirense é uma jogada ao nível de génio.Enfraquecer os adversários, indo buscar o treinador de um rivaldirecto na luta pela manutenção - que para mais ainda terá de sedeslocar a Alvalade – afigura-se uma boa estratégia que nãolembrava a todos. Comparado com isto, contratar jogadores dosadversários em véspera de jogo é coisa de meninos.


Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:51

Que o Sporting nos continue a dar muitas alegrias...
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:51

Venham de lá mentiras novas!

por Kruzes Kanhoto, em 24.03.13

Poucos assuntos mepodiam deixar mais indiferente do que a anunciada contratação deJosé Sócrates para comentador politico na RTP. Não compreendo oentusiasmo de alguns, os muitos que ainda o veneram, nem a indignaçãode outros, os que o responsabilizam por todo o mal que aconteceu aopaís. Menos ainda percebo a existência de petições – essa modaparva e inútil – a favor e contra a presença do ex-primeiroministro, a mandar bitaites, na televisão pública. Deixem lá ohomem falar. Ou, os que não gostam da criatura, que mudem de canal. É, de resto, para isso que serve aquela coisa com botões a que chamamos comando. 
Comentadores há muitos. Ex-políticos a botar opinião também não faltam em nenhum dos canais principais. Não vejo, portanto, motivo para tanto alarido. Neste caso até me parece que fizeram a escolha acertada, pois este é o gajo indicado para explicar aos portuguesesos motivos porque estamos nesta situação. O que, caso ele mantenhaa performance que o caracterizava antes de bazar para Paris,contribuirá seguramente para o enriquecimento do anedotárionacional. Valha-vos isso. Por mim dispenso. Quando quiser verpalhaços vou ao circo.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:56

Venham de lá mentiras novas!

por Kruzes Kanhoto, em 24.03.13
Venham de lá mentiras novas!
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:56

A dama e o Lulu vieram ao mercado

por Kruzes Kanhoto, em 23.03.13

Emboraincomparavelmente menos do que noutros tempos, o mercado de sábado demanhã em Estremoz continua a atrair muita gente das redondezas. Masse as pessoas, as galinhas ou os coelhos são cada vez menos, os cãesque os visitantes passeiam são cada vez mais. Mas antigamente osanimais, excepto os destinados a venda, ficavam no “monte”. Hojetrazem-nos à cidade. Para nos cagar as ruas. 
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:54

A dama e o Lulu vieram ao mercado

por Kruzes Kanhoto, em 23.03.13
A dama e o Lulu vieram ao mercado
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:54

Kruzes Kupido

por Kruzes Kanhoto, em 22.03.13


Oamor é uma coisa muito linda. Não me canso de repetir. Sejadeclarado na forma de um poema manhoso pintado numa parede igualmentemanhosa, com gatinhos fofinhos à mistura, ou em letras garrafaispintadas à porta da amada. O jovem apaixonado, seja ele quem for,merece uma oportunidade. Se é, digo eu fazendo votos para que sim,que não a tem já. 
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:13

Kruzes Kupido

por Kruzes Kanhoto, em 22.03.13
Kruzes Kupido
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:13

Não era preciso ofender os varredores...

por Kruzes Kanhoto, em 21.03.13

Nuncaliguei a comentários supostamente ofensivos que, de vez em quando, por aqui vão deixando. Mas, embora este nem tenha nada que meofenda, confesso que estava à espera de algo parecido. Foi feito às 9 horas e 54 minutos num computador, alegadamente, ligado ao servidor de uma CâmaraMunicipal. Provavelmente por alguém que é pago com o dinheiro doscontribuintes para trabalhar. Coisa que, aparentemente, não lheassiste. Em vez disso, por razões que só ele – ou ela - sabeoptou por utilizar o seu tempo a tentar marrar contra o autor desteblogue. Que, pelos vistos, até sabe quem é e o cargo quedesempenha.
Está,em relação a mim, claramente em vantagem. Não sei quem é o comentador nem ocargo que ocupa na suposta autarquia. Se é que desempenha algum. Nem,diga-se, é coisa que me interesse por aí além. Importa-me mais afalta de profissionalismo. O não saber respeitar o lugar que ocupa.A falta de respeito que demonstra pelos contribuintes. Que, recorde-se, é também para pagar ordenados à malta que ocupa o seutempo a comentar blogues que serve o IMI que nos seca a carteira.Vergonhoso, acho eu.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:43

Não era preciso ofender os varredores...

por Kruzes Kanhoto, em 21.03.13
Não era preciso ofender os varredores...
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:43

De pantanas

por Kruzes Kanhoto, em 20.03.13

Istode trabalhar para o Estado, ainda que nunca tenha sido grande coisa,já nem sequer é o que era. Os funcionário públicos são, de umaforma geral, mal-vistos e vitimas de uma inveja mal justificadapromovida, principalmente nos últimos anos, pelos sucessivosgovernos. Nisto, tal como em muitas outras coisas, Passos não édiferente de Sócrates. E é bom que disso se tenha memória.
Paraos agentes da forças de autoridade os tempos são ainda piores. Aoódio governamental e aos invejosos dos seus privilégios – sejamlá eles quais forem – soma-se uma estranha doença que, de há unsanos a esta parte, se espalhou de forma pandémica na sociedadeportuguesa: O politicamente correcto. De tal forma que hoje o policiaou militar da GNR que tenha o azar de pontapear um porco, sacudir asmoscas das trombas de um meliante ou, sequer, tentar salvar a vida aum qualquer maluco que circule de mota sem capacete, está feito aobife. Lixado, mesmo.
Opaís está de pantanas. E não é apenas no que diz respeito àeconomia ou às finanças. No plano moral não está melhor. Quandonuma sociedade a palavra de um badameco – ou mesmo de dez badamecos- mais dado aos negócios pouco claros que ao trabalho, vale o mesmoque a palavra de um agente da autoridade é porque está tudo viradodo avesso. O pior é que até expressar esta opinião, não tarda,há-de ser proibido.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:45

De pantanas

por Kruzes Kanhoto, em 20.03.13
De pantanas
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:45

No gastar é que está o ganho...

por Kruzes Kanhoto, em 19.03.13



Opaís está a esfrangalhar-se e, ainda assim, há quem continue semperceber o que está acontecer à sua volta. Já nem falo dessa genteestranha da “cultura”. Que mantém, como se sabe, umaincompatibilidade militante com os números e nem consegue assimilar,ainda que vagamente, a ideia de isto estar tudo falido e que não háguito nem para mandar cantar um ceguinho. Quanto mais para pagarprogramações milionárias das “casas da música” ou, em menorescala, aos “Tóinos Carreiras” desta vida. Já não há dinheiropara o pão mas, mesmo assim, estes desmiolados continuam a insistirque o Estado tem obrigação de lhes de pagar o circo.
Mas,voltando à vaca fria – que é uma bela expressão, emboralamentavelmente caída em desuso – mais preocupante é a existênciade decisores, no âmbito politico e se calhar não só, que aparentamnão demonstrar qualquer preocupação em poupar os recursospúblicos. Não existe na administração pública a cultura dapoupança. Veja-se, por exemplo, a quase inexistente utilização desoftware livre nos serviços públicos e, olhando apenas para estestrês exemplos, perceba-se a grandeza dos montantes que estão emcausa. Apenas em três municípios portugueses esturraram-se mais deseiscentos mil euros em licenciamento de software. A Microsoftagradece. Nós não. Pelo menos os chatos que não gostam de pagarcaro aquilo que podem ter mais barato. Ou, até, de borla.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:34

No gastar é que está o ganho...

por Kruzes Kanhoto, em 19.03.13
No gastar é que está o ganho...
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:34

Aos bancos!

por Kruzes Kanhoto, em 17.03.13

Causa-meuma certa confusão que Chipre tenha necessitado de pedir apoiointernacional. Teve até há cerca de dois meses um governo deesquerda – daqueles patrióticos e progressistas, como se reclamapor cá, que sabem o que é bom para o povo – pelo que seriasuposto estar ao abrigo destas contingências e a salvo dasmanigâncias do grande capital, especuladores estrangeiros e chulosem geral. Não escapou, pelos vistos, a nenhuma delas.
Emconsequência disso os cipriotas foram assaltados. Pela calada danoite, enquanto dormiam, foram vitimas de um assalto em larga escala– um arrastão, digamos - que lhes levou uma fatia significativadas suas poupanças. O crime foi perpetrado pelo governo local, sobindicações da troika lá do sitio e, começo a desconfiar, é ummodus operandis que pode começar a fazer escola entre os criminososdo ramo. Um roubo com contornos semelhantes foi, como certamentealguns se recordarão, sugerido igualmente quando do primeiro resgatea Portugal. Escapámos. Se calhar para a próxima não teremos amesma sorte.
Deresto esta é uma opção que recolherá algumas simpatias – emalternativa a outros cortes – em alguns sectores políticosnacionais. Excepto, talvez, no CDS os principais partidos estãocontaminados pelo vírus maoísta-blochevique transportado por muitosque, na ânsia de encontrar tacho, procuraram nos partidos do sistemao que não conseguiram obter com o PREC. E, assim sendo, não mesurpreenderá muito se, em desespero de causa, o vírus desperte e a opção seja sacarumas massas a esses malandros que têm uma poupançazitas. Atéporque o deles, o mais provável, é estar ao “largo”. 
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:24

Aos bancos!

por Kruzes Kanhoto, em 17.03.13
Aos bancos!
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:24

Cagaram nos meus poejos!!!!

por Kruzes Kanhoto, em 16.03.13

Quelevem os cães a cagar ao jardim ou ao relvado mais próximo, ospasseiem pelo bairro onde moram para que os gajos caguem na rua, nacalçada ou onde os filhos da puta dos donos entendam por bem, ainda,apesar de bastante javardo, vá que não vá. Agora que um dessesanimais me invada o quintal e trate de largar um monte de cagalhõesem cima dos meus poejos é que, convenhamos, já é demais.
Aplantação está, portanto, arruinada. Usar estas plantas para, porexemplo, confeccionar uma açorda está fora de causa. Equacionavadar-lhes uso para produzir um licor mas, depois disto, o melhor éesquecer o assunto. Tudo graças a uma besta qualquer que não sabeeducar os seus bichinhos a cagarem naquilo que é seu. Ou, o maisprovável, que os ponha no olho da rua – e lhes feche o portão,como já por aqui vi fazer – para que não voltem a casa sem antesterem arreado o calhau. 
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:28

Cagaram nos meus poejos!!!!

por Kruzes Kanhoto, em 16.03.13
Cagaram nos meus poejos!!!!
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:28

Cumprir a austeridade gastando mais

por Kruzes Kanhoto, em 15.03.13







Hoje,confirmadas as noticias que já se adivinhavam, o país está aindamais indignado do que habitualmente. Compreende-se porquê. O que jánão se entende muito bem é – reitero o que ando a escrever desdetempos imemoriais – a selectividade da indignação que por aí vouvendo espalhada.
Opaís está abespinhado. Não gosta da austeridade. Daí que façatudo o que pode para contrariar as medidas austeras que o governo vaidecretando. E se a coisa não revela particular importância se forum qualquer cidadão a tentar, por si, furar o esquema, o mesmo nãose pode dizer quando se trata de grupos organizados. Ou, pior ainda,detentores de cargos políticos.
Noâmbito do memorando da troika o número de funcionários públicosteria de ser reduzido em, pelo menos, dois por cento ao ano. Nãoconsta que haja, por parte dos diversos organismos obrigados aaplicar esta redução, grandes violações à regra. Masdesenganem-se os que pensam que do religioso cumprimento desta normaresultou uma significativa poupança para os cofres públicos. Pelocontrário. A despesa será agora bastante maior. È que, deimediato, as mentes brilhantes que nos representam lembraram-se deuma forma simples, expedita e bastante cara de dar a volta à lei,aos cortes e à impossibilidade de arranjar emprego ao séquito. Como? Recorrendo ao maravilhoso e transparente mundo das aquisiçõesde serviços. Seja de trabalho temporário ou de consultadoria. Eserve para tudo. Desde a limpeza de edifícios até à observaçãodo atum rabilho.

Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:47

Cumprir a austeridade gastando mais

por Kruzes Kanhoto, em 15.03.13
Cumprir a austeridade gastando mais
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:47

Estacionamento tuga

por Kruzes Kanhoto, em 14.03.13

Estechasso está à venda. Pelo menos a acreditar no papel colado novidro da porta. Isto apesar de coxo. Porque, como se pode atestar(atestar?! Isto anda tudo ligado..) tem apenas três rodas. Deve serpor isso que não vai a lado nenhum. Ou então é para não estragaro eventual negócio!
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:31

Estacionamento tuga

por Kruzes Kanhoto, em 14.03.13
Estacionamento tuga
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:31

Apagão blogosferico

por Kruzes Kanhoto, em 13.03.13

Escreviaum destes dias o autor de um blogue que costumo visitarfrequentemente, daqueles que estão ali na barra lateral, que osblogues duram sete anos. Alguns, acrescento eu. Outros acabam malcomeçam. Há, depois, as excepções. Os bons que pela qualidade damatéria publicada se tornaram uma referência e aqueles que, por umaqualquer razão ou mesmo sem ela, insistem em permanecer nablogosfera. É a este último segmento que o Kruzes se orgulha depertencer. Anda por aqui a aborrecer vai para oito anos e nãoestará, salvo algum imponderável, perto do fim.
Lamentavelmente– na minha opinião, porque outros pensarão o inverso – ouniverso bloguistico de Estremoz desapareceu. Sumiu-se. Finou-se,salvo raríssimas excepções, quase tão depressa como apareceu. Eninguém ficou a ganhar com isso. Nem mesmo aqueles que respiraram dealivio perante a ausência de critica. Alguns terão migrado para oFacebook. Mas não é a mesma coisa. Ainda que com perfis falsos. Umaespécie de anonimato que parece ser muito mais tolerada mas – evamos ver se o futuro não me dará razão – igualmente perigosa.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:37

Apagão blogosferico

por Kruzes Kanhoto, em 13.03.13
Apagão blogosferico
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:37

Privatize-se, porra!

por Kruzes Kanhoto, em 12.03.13

Dizerque as sucessivas greves nos transportes já aborrecem é,manifestamente, pouco. Pelo menos quando comparado com a ausência demedidas para combater a situação por parte da tutela. Que é comoquem diz, do governo. Talvez por isso surgiu agora – um destesdias, não sei ao certo quando – um movimento de utentes dometropolitano de Lisboa contestando a rebaldaria que se vive nosector. Nomeadamente o facto de serem os utilizadores os únicosprejudicados pelas inúmeras greves.
Obviamenteque os grevistas têm todo o direito de protestarem. Principalmentequando entendam estar em causa aquilo que consideram ser os seusdireitos há muito adquiridos. Tal como os utentes de se manifestaremcontra o fraco – ou inexistente, em caso de greve – serviço peloqual pagaram antecipadamente. O governo, por sua vez, tem a obrigaçãode assegurar o regular funcionamento da rede de transportes. Se nãoestá em condições de satisfazer as exigências de uns, nem deindemnizar os prejuízos de outros, então que obrigue os primeiros atrabalhar ou que arranje quem o queira fazer.
Nãoé que me pareça boa ideia, mas, aproveitando esta onda de simpatiapóstuma para com Hugo Chavez, podiam copiar algumas das suas medidasenquanto presidente da Venezuela. Como, por exemplo, aquela em queele despediu cerca de vinte mil grevistas da companhia de petróleoslá do sitio. A julgar pela admiração que as redes sociais dedicamao falecido, seria coisa para recolher um aplauso quase unânime. Ecom melhor resultado do que ir cantar a “Grândola” para asestações de metro em dia de greve... 
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

Privatize-se, porra!

por Kruzes Kanhoto, em 12.03.13
Privatize-se, porra!
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

Sacadores ou saqueadores?

por Kruzes Kanhoto, em 11.03.13

Oresultado de vinte e tal anos a sacar dinheiro a Bruxelas – comodisse em certa ocasião um ex-Presidente da República e da Câmarade Lisboa - para fazer obras, está à vista de todos que o queiramver. Poucos, apesar de tudo o que estamos a passar, porque a maioriaainda acha que é uma boa ideia gastar o que não tem com obrasdesnecessárias e arranjar encargos que não vai poder pagar sóporque alguém lhe dá uma ajudinha.
Despejardinheiro em cima dos problemas tem sido também uma práticacorrente. Mesmo daquele dinheiro que não temos, que tivemos de pediremprestado e que agora alguns acham que não temos nada de pagar. Asconsequências são, tal como em relação ao que sacámos à Europa,as que podemos apreciar.
Dizque agora o governo, que politicamente tanto diabolizou esta práticaenquanto os organismos públicos de si dependentes a continuavam aincentivar, vai lançar umas quantas obras públicas e criar unsquantos programas para esturrar mais umas massas e, alegadamente,criar emprego. Para gente vinda de leste e de África, presumo.
Haverá,ao que parece, a intenção de avançar com projectos na área darecuperação de centros urbanos degradados. Pode ser, admito, umaideia razoável. Os jardins suspensos em que os telhados de muitosprédios, em todas as cidades e vilas, se estão a transformardeviam, digo eu, constituir motivo de preocupação. Embora, emmuitos casos, já não haja nada para recuperar. Nem, sequer, razãopara o fazer. É deitar abaixo, limpar o entulho e pronto. Ou, quandomuito, alargar a rua.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

Sacadores ou saqueadores?

por Kruzes Kanhoto, em 11.03.13
Sacadores ou saqueadores?
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

Eleições antecipadas

por Kruzes Kanhoto, em 10.03.13

Aeleição do sucessor de Bento XVI está a suscitar teorias deverascuriosas acerca do perfil que deve ser tido em conta quando chegar ahora do colégio eleitoral nomeado para o efeito tomar a sua decisão.O novo Papa, alegam uns quantos, deve ser alguém do “sul domundo”. Presumo que tenham em mente algum candidato australiano ouneozelandês com especiais aptidões para o cargo. Outros preferiamver no Vaticano um Papa negro. Não se sabe ao certo porquê mas,sendo escuro que breu, ficariam satisfeitos.
Pormim - que não sou dado a essas coisas das beatices e que não podiaestar menos interessado no assunto – tanto se me dá. Só nãopercebo é porque a escolha parece ter de obedecer a critérios deproveniência geográfica, cor da pele, idade ou de outra baboseiraqualquer. Pensava eu, pelos vistos mal, que quando se trata de elegeralguém para funções com alguma relevância, a única condiçãoera a competência para o desempenho do lugar. Já que não é assim,se querem algo revolucionário e a atirar para o modernaço, escolhamum Papa muçulmano e transexual e não se fala mais no assunto.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:18

Eleições antecipadas

por Kruzes Kanhoto, em 10.03.13
Eleições antecipadas
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:18

O amor é uma coisa muito linda...

por Kruzes Kanhoto, em 09.03.13

...Aindaque proclamado no mais horrível dos recantos.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:05

O amor é uma coisa muito linda...

por Kruzes Kanhoto, em 09.03.13
O amor é uma coisa muito linda...
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:05

Javardolas

por Kruzes Kanhoto, em 08.03.13

Verdade que o contentor está mesmo ali. Mas isso, quando se quer sujar deliberadamente o que outros acabaram de limpar, não interessa nada. Deve dar, calculo, um gozo do caraças atirar lixo para o chão, ver tudo sujo, armar-se em alarve e, às tantas, reclamar que “esta malandragem não quer é trabalhar, vejam lá que nem o lixo recolhem, os patifes”. São javardolas desta estirpe que não faltam por aqui. Nem, se calhar, noutros lados. 
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:28

Javardolas

por Kruzes Kanhoto, em 08.03.13
Javardolas
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:28


Nãovou gastar as pontas dos dedos, nem desgastar ainda mais as minhas quase imperceptíveis impressões digitais, a escrever o que pensoacerca das cada vez mais previsíveis reduções de vencimentos nafunção pública. Já o fiz em inúmeras ocasiões e, não o digocom grande satisfação, tudo o que tem sucedido na sequência doscortes já efectuados tem vindo de encontro ao que por aqui tenhoescrito.
Pareceque desta vez a coisa vai ser ainda pior. Os ordenados dageneralidade dos funcionários públicos estarão, mais uma vez, soba ameaça de novos cortes e, consta, agora a titulo definitivo. Será,tudo indica, por aí que o governo vai encolher a despesa públicanos tais quatro mil milhões de que tanto se tem falado ultimamente.Trata-se da opção mais fácil e com menos custos em termos depopularidade mas, ainda assim, tão inútil como as tesouradasanteriores.
Digamosque, pelo menos nesta fase, não estou especialmente preocupado comesta eventualidade. Ou quase certeza. Nunca gastei mais do que aquiloque ganho e é assim que tenciono continuar a agir. Por isso seganhar menos, gastarei menos. E se tivermos em conta que na economiaos meus gastos são os teus ingressos, alguém é capaz de selixar. Mais ainda.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:13

Das outras não resultou...Mas desta é que vai ser!
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:13

Sei o que fizeram no governo passado...

por Kruzes Kanhoto, em 05.03.13

Gostoda democracia. Não sei porquê, mas gosto. E em democracia aspessoas – o povo, portanto – escolhem quem os vai governar, nasurnas de voto através dessa coisa a que chamamos eleições. Por mimprefiro que continue assim. Mesmo que não ganhem aqueles em quemvoto e ainda que os escolhidos para governar o façam ao arrepio dasminhas convicções.
Queroacreditar que foi por isso que muita gente terá lutado durante oregime salazarento. Nem me passa pela cabeça que a generalidade dosque deram o corpo ao manifesto antes do 25A tivessem em mente algo dediferente. Que idealizassem um país onde os governantes não fossemeleitos em sufrágio livre e universal, mas antes nomeados por umgrupo de “esclarecidos”, iluminados e auto-nomeadosrepresentantes do povo. Como antes, afinal.
Obviamenteque em democracia também é legitimo pretender a queda de umgoverno. Que a acontecer nada terá de dramático. Elege-se outro e oassunto fica resolvido. Ou não. Porque não me parece que seja issoque muitos manifestantes – profissionais ou gente legitimamenteindignada – desejam para o país. Se é que sabem o que desejam.Nem, menos ainda, representam ninguém. A não ser a eles próprios,quando muito.
Insiste-seagora que se deve ouvir o povo. Creio que a referência envolverá eleições antecipadas e não outra coisa qualquer. O que, aacontecer, levaria o PS de novo ao governo e que é bem revelador dafraca memória dos portugueses e da pouca inclinação que têm paraos números. Preferem o regresso da festa. Esquecem apenas umpormenor. Já não há quem queira financiar os festejos.


Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:40

Sei o que fizeram no governo passado...

por Kruzes Kanhoto, em 05.03.13
Sei o que fizeram no governo passado...
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:40

Indignação com os indignados

por Kruzes Kanhoto, em 04.03.13

Háquem se escandalize por uns quantos reformados manifestarem a suaindignação pelo roubo de que estão a ser vitimas e, paramanifestarem o seu aborrecimento, terem criado um movimento a quederam o sugestivo nome de reformados indignados. O escândalo, em vezda esperada solidariedade, deriva somente do facto de alguns destesreformados auferirem uma pensão para lá de generosa. Que, segundoos próprios, é praticamente toda recolhida de volta pelo Estado.Seja sob a forma de cortes ou impostos.
Pormim estou solidário com estes reformados. Faço, até, minha aindignação deles. Verdade que o valor da pensão que lhes tem sidopaga é mais que obsceno. Igualmente verdadeiro que, por mais cortesque sofram ou impostos que paguem, nenhum destes aposentados vaimorrer de fome, de falta de assistência médica ou de qualquer outracoisa relacionada com falta de dinheiro. O que me indigna é queestas pensões não sejam cortadas por serem imorais, mas apenasporque, circunstancialmente, o Estado não tem dinheiro para aspagar. O mesmo Estado – em todos os seus níveis de poder - a quemparece não faltar o guito para esturrar em despesas absolutamenteparvas, inúteis e que deviam cobrir de vergonha aqueles que asfazem. E, também, todos os que as aplaudem.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:53

Indignação com os indignados

por Kruzes Kanhoto, em 04.03.13
Indignação com os indignados
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:53

Bichano esfomeado

por Kruzes Kanhoto, em 03.03.13

Dizque a curiosidade matou o gato. Alegadamente, claro, que eu não soude acusar ninguém. E se algum bichano morreu por causa da suabisbilhotice não foi de certeza este que, quando deu pela minhapresença, se revelou muito mais assustado do que curioso.
Ocoitado do bicho mais não é do que um gato vadio que vagueia aquipelas redondezas. Procura comida no lixo e, em consequênciadisso, um destes dias ainda é capaz de bater a bota. Basta alguémfechar a tampa do contentor...E aí não vai ser a curiosidade amatá-lo. Será a fome. Ou a vontade de comer.
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:55

Bichano esfomeado

por Kruzes Kanhoto, em 03.03.13
Bichano esfomeado
Compartilhar no WhatsApp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:55


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D