Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kruzes Kanhoto

Ainda que todos, eu não!

Dia Mundial da Poupança

por Kruzes Kanhoto, em 31.10.07
"Uma boa reforma da administração pública pode contribuir para gerar poupanças, por exemplo através da definição de objectivos, da redução de despesa e da eliminação de duplicações de procedimentos inúteis". A afirmação pertence, segundo a "Lusa", citada pela "Agência Financeira" a José Tavares, director-geral do Tribunal de Contas, que se pronunciava a propósito do Dia Mundial da Poupança que hoje se comemora.Portanto, vá lá, a partir de agora não dupliquem. Façam um procedimento inútil apenas uma vez.
Compartilhar no WhatsApp

Dia Mundial da Poupança

por Kruzes Kanhoto, em 31.10.07
Dia Mundial da Poupança
Compartilhar no WhatsApp

O comentador desgraçado

por Kruzes Kanhoto, em 29.10.07
Salvo raras excepções, todos os que tem um blogue gostam de receber comentários e de ter bastantes visitas. Até mesmo daqueles que sob a capa de uma pretensa superioridade cultural - apenas reconhecida por eles e desprezada pelos outros - questionam e desvalorizam as opiniões do autor. Foi o caso de um desgraçado que, coitado, perdeu alguns minutos do seu tempo a escrever 12 (doze!!!!) linhas de um comentário tão jeitoso acerca de um post anterior.Seria uma falta de respeito imperdoável não publicar o texto da criatura que, diga-se, está quase tão mal escrito como a maior parte dos posts deste blogue. Talvez tenha sido isso que me tenha feito gostar do comentário. Gostei tanto, mas tanto, que o vou publicar. Um destes dias, claro. É que também gosto de ter visitas e, quase de certeza, ele vai cá voltar para se certificar se o comentário já foi publicado.
Compartilhar no WhatsApp

O comentador desgraçado

por Kruzes Kanhoto, em 29.10.07
O comentador desgraçado
Compartilhar no WhatsApp

Audiências

por Kruzes Kanhoto, em 27.10.07
A visibilidade dos blogs alojados no Sapo é algo que me surpreende. A primeira versão do Kruzes Kanhoto, apesar de raramente actualizada tem muito mais visitas que as outras duas versões em conjunto. Também nas pesquisas nos diversos motores de busca aparece com um número bastante superior de resultados, nomeadamente em pesquisa de imagens.Deste facto resulta uma conclusão óbvia. Quanto menos escrevo mais os leitores gostam.
Compartilhar no WhatsApp

Audiências

por Kruzes Kanhoto, em 27.10.07
Audiências
Compartilhar no WhatsApp

Vernissage

por Kruzes Kanhoto, em 25.10.07
Vá lá saber-se porquê, uma distinta e honorabilissima organização de caracter social e humanitário insiste em convidar-me para as suas "vernissages". Logo a mim. Um gajo sem cultura geral, que só lê "A Bola" e, mesmo assim, apenas quando o Benfica ganha.É por isso que, apesar da gentileza do convite, vou continuar a dignificar as vernissages com a minha ausência.
Compartilhar no WhatsApp

Vernissage

por Kruzes Kanhoto, em 25.10.07
Vernissage
Compartilhar no WhatsApp

A fome presente e a fartura futura

por Kruzes Kanhoto, em 24.10.07
Afinal, ao contrário do que chegou a ser noticiado por alguma comunicação social, o orçamento de Estado para 2008 não contempla para as populações do interior uma redução de impostos, nomeadamente em sede de irs.O documento apenas prevê que tal redução se aplique ao irc, que baixa para 15% ou 10% consoante se trate de empresas já existentes ou que se venham a instalar no Portugal profundo. É claro que esta medida é, em termos orçamentais, perfeitamente inócua. Baixar a taxa de um imposto que ninguém paga não traz às finanças públicas grande prejuízo.Argumenta o governo que não há margem de manobra para reduzir o irs. E possivelmente, este ano, não haverá. No entanto, como as autarquias também podem prescindir de parte da receita deste imposto a favor dos seu municipes, daqui por uns meses somos capazes de começar a ter boas novidades nesta matéria. E a dobrar!
Compartilhar no WhatsApp

A fome presente e a fartura futura

por Kruzes Kanhoto, em 24.10.07
A fome presente e a fartura futura
Compartilhar no WhatsApp

Espelho meu...Quem é mais vândalo que eu?

por Kruzes Kanhoto, em 22.10.07

Apesar de aparentemente inofensivos os sinais de trânsito são um alvo frequente da fúria de uns quantos energúmenos que por aqui vão vivendo a sua vidinha inútil, miserável e à qual, para bem da sociedade, se recomenda que ponham urgentemente um fim. Triste de preferência.

Desta feita coube a um espelho, colocado num cruzamento da cidade, ser atacado. As causas do ataque são desconhecidas mas, calcula-se, que reflectiu uma imagem de que alguém não gostou. Oxalá tenha sete anos de azar. Ou até mesmo mais!

Compartilhar no WhatsApp

Espelho meu...Quem é mais vândalo que eu?

por Kruzes Kanhoto, em 22.10.07
Espelho meu...Quem é mais vândalo que eu?
Compartilhar no WhatsApp

Diz que é uma espécie de racismo positivo

por Kruzes Kanhoto, em 21.10.07
Diz-se, mas provavelmente será mentira, que os membros de uma minoria étnica fortemente implantada entre nós, apesar de conduzirem tão mal como os restantes portugueses, não pagam multas de trânsito. Ou raramente o fazem.Consta que haverá - coisa em que não acredito - alguma relutância em autuar esses cidadãos, que como todos sabemos são pessoas educadas, com boas maneiras e que irradiam simpatia, respeito pelos outros e pelas leis do país. No entanto, se por um infeliz acaso algum deles é detectado, com o seu Mercedes, BMW ou outro veiculo topo de gama, a cometer uma infracção e o agente não pode de todo em todo "fechar os olhos", o autuado é, ao que parece, de imediato informado, pelo próprio autuante, que deve dirigir-se à primeira assistente social que encontrar para que esta ateste a sua condição de pobreza por forma a que a multa seja considerada sem efeito.Diz-se, mas provavelmente será mentira. Até porque a ser verdadeira, esta situação de clara discriminação, há muito que teria merecido a denuncia de organizações como o SOS Racismo, do Bloco de esquerda e de outras associações de defesa das minorias.
Compartilhar no WhatsApp

Diz que é uma espécie de racismo positivo

por Kruzes Kanhoto, em 21.10.07
Diz que é uma espécie de racismo positivo
Compartilhar no WhatsApp

Lisboa profunda

por Kruzes Kanhoto, em 19.10.07

A expressão “Alentejo profundo” utilizada quase sempre sem nexo, por ignorantes armados ao pingarelho, irrita-me solenemente. Aborrece-me, desagrada-me e é uma coisa que me chateia.

Mais uma vez, a propósito de um estudo recentemente divulgado e que associa a pobreza à desertificação, é dado o exemplo, em várias análises que se fizeram ao dito trabalho, de “S. Bento de Ana Loura freguesia do concelho de Estremoz, lá no Alentejo profundo...”.

Desconheço que unidade de medida é utilizada por estas bestas para medir a “profundidade” de um determinado local ou região do país, desconfio no entanto que, seja ela qual for, não está normalizada. Ou então nunca foi utilizada em zonas como o Bairro do Cabrinha, Musgueira, Chelas, Cova da Moura, Quinta do Mocho e outras lá para os lados da Lisboa profunda...

Compartilhar no WhatsApp

Lisboa profunda

por Kruzes Kanhoto, em 19.10.07
Lisboa profunda
Compartilhar no WhatsApp

A mala

por Kruzes Kanhoto, em 17.10.07
A expressão "Quem me dera a mala..." caiu, definitivamente, em desuso. Por aqui, pelos vistos, há quem não queira a mala e a abandone nos locais mais improváveis. Talvez à espera que alguém lhe deite a mão...
Compartilhar no WhatsApp

A mala

por Kruzes Kanhoto, em 17.10.07
A mala
Compartilhar no WhatsApp

Os blogs que ninguém lê

por Kruzes Kanhoto, em 16.10.07
Ninguém lê blogs. Não. Os motivos são mais que muitos e todos válidos. Desde um comedido “Não costumo ver...”, um depreciativo “isso é coisa para quem não tem mais nada que fazer!” até ao arrogante “Não perco tempo com essas coisas!”, todos vão encontrando uma ou outra razão para desmentir os contadores que a generalidade dos bloggers tem instalado nos seus espaços na internet.No entanto muitos factos que são expostos na blogosfera quase de imediato são corrigidos. Vá lá saber-se porquê. É que ninguém lê blogs. Mas se calhar vêem os bonecos.
Compartilhar no WhatsApp

Os blogs que ninguém lê

por Kruzes Kanhoto, em 16.10.07
Os blogs que ninguém lê
Compartilhar no WhatsApp

Pág. 1/3